Skip to main content

Blog

O que é a tecnologia Blockchain?

Definindo a Blockchain

blockchain

A Blockchain é uma das principais inovações tecnológicas do Século XXI. Trata-se de de uma nova forma de organizar e compartilhar dados, mais especificadamente de uma estruturação dos dados organizados em um tipo de “livro-contábil” digital, distribuído de forma descentralizada entre diferentes entidades independentes, sem uma autoridade central que a controle – um dos aspectos centrais desta tecnologia.

Em termos mais técnicos, a tecnologia blockchain é um “sistema de segurança codificado e descentralizado que permite o desenvolvimento de novas plataformas digitais e serviços, […] uma espécie de DLT (Distributed Ledger Technology) descentralizado. É uma ‘cadeia de blocos’ em que cada bloco carrega um hash e também dados digitais com carimbo de data/hora, que é um identificador único” (Trivedi, Mehta & Sharma, 2021).

Tipos de Blockchain

Existem 3 tipos de blockchains:
– as “públicas”, como o Bitcoin.
– as “autorizadas”, com algum grau de controle sobre quem pode fazer o quê (e.g. Ripple).
– e as “privadas”, que, como o nome diz, são limitadas a um grupo de membros, com alto grau de controle, uma vez que transacionam informações confidenciais (a IBM, por exemplo, oferece tal serviço).

O que são as criptomoedas?

As criptomoedas surgem como um incentivo para que os usuários de uma blockchain contribuam para a manutenção da segurança, estabilidade e integridade do sistema (Kalejahi, Quluzada & Maharrəmli, 2020). Além da descentralização, a remuneração por criptomoedas para os nós da rede, que usam seu hardware para processar as transações da blockchain, é uma forma de prevenir a rede de ser corrompida, utilizando, para tanto, algoritmos de consenso (Nijsse & Litchfield, 2020).

Qual o uso atual da tecnologia Blockchain?

Como se trata de uma tecnologia que adota a criptografia como base para seu funcionamento, a segurança do uso e transmissão de dados é apontada como uma das suas grandes vantagens. Apesar de ter surgido principalmente em função da criação das criptomoedas, notadamente pela principal delas, o Bitcoin, outros setores perceberam nesta tecnologia a oportunidade de desenvolverem soluções adequadas para sua atividade, como é o caso, obviamente, do setor bancário/financeiro (mercado de capitais, proteção contra lavagem de dinheiro, seguros, etc.).

Para além dos setores econômicos, são exemplos de áreas que utilizam a tecnologia blockchain: setor imobiliário, artes e entretenimento (caso dos NFTs), gestão de cadeia de fornecimento, mobilidade, saúde pública, energia, dentre outros. O setor público, por sua vez, também pode fazer uso das blockchains para , por exemplo, criar sistemas inteligentes para gestão tributária, de dados dos cidadãos, para organizar e realizar eleições.

Como se pode perceber, as possibilidades são muitas e todas elas trazem significativas vantagens, principalmente em termos de integridade dos dados, fiabilidade, velocidade de armazenamento e transparência. Não por acaso, grandes potências mundiais, como a China, estão avidamente interessadas em desenvolver essa tecnologia, por mais que temas controversos, como é o caso das criptomoedas e sua regulação, ainda permaneçam atrelados a ideia do que é e o que pode fazer uma blockchain – que, como se viu, pode oferecer muito mais do que transações financeiras.


Referências

  • Kalejahi, B. K., Quluzada, J., Maharrəmli, S. (2020) Development of Blockchain Technology. J. Adv. Comp. Eng. Technol., 6(4).
  • Laurance, Tiana (2019). Blockchain for Dummies. y John Wiley & Sons, Inc., Hoboken, New Jersey, USA.
  • Nakamoto, Satoshi. Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System. Disponível em: <https://bitcoin.org/bitcoin.pdf>. Acesso em 16 mar. 22.
  • Nijsse, J., & Litchfield, A. (2020). A Taxonomy of Blockchain Consensus Methods. Cryptography, 4(4), 32. MDPI AG.
  • Taleb, Nasser (2019) Prospective Applications of Blockchain and Bitcoin Cryptocurrency Technology. TEM Journal. Volume 8, Issue 1, Pages 48-55, ISSN 2217-8309.
  • Talin, Benjamim. 28 Casos De Uso De Blockchain – Possíveis Aplicações Da Tecnologia De Ledger Distribuído. Disponível em <https://morethandigital.info/pt-pt/blockchain-possibilidades-e-aplicacoes-da-tecnologia/>. Acesso em 16 mar. 22.
  • Trivedi, Sonal, Mehta, Kiran, & Sharma, Renuka. (2021). Systematic Literature Review on Application of Blockchain Technology in E-Finance and Financial Services. Journal of technology management & innovation, 16(3), 89-102. https://dx.doi.org/10.4067/S0718-27242021000300089

NAU – cursos online gratuitos em Portugal

NAU - cursos online gratuitos em Portugal

No Brasil são oferecidos cada vez mais opções de cursos online gratuitos, oferecidos principalmente por instituições públicas, como os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Há também outros países que oferecem cursos em língua portuguesa e são abertos para estudantes de todo o mundo, e Portugal sem dúvida é um deles. Confira abaixo a plataforma portuguesa que atualmente oferece cursos de graça e com emissão de certificado.

O que é o NAU?

NAU – Ensino e Formação Online para Grandes Audiências” é um projeto de MOOC (Massive Open Online Course) que oferece cursos online gratuitos em Portugal e tem por missão “ser a plataforma de referência do conhecimento lusófono”, ou seja, aberto a todos os países de língua portuguesa.

A plataforma é um serviço desenvolvido e gerido pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) que oferta cursos abertos e acessíveis, produzidos por entidades reconhecidas em Portugal.

O objetivo da plataforma é o de promover “o desenvolvimento digital, a inclusão e a literacia digitais, educação e qualificação da população ativa”, conforme consta no site. O foco é dar maior acesso ao saber e para desenvolver as aptidões para melhor qualificação do público-alvo.

O histórico da plataforma NAU impressiona: foram emitidos mais de 100 mil certificados, em um total de 194 cursos ofertados por 27 diferentes entidades. Os cursos são assíncronos mas em sua maioria tem data de início e fim para serem concluídos. Na data de publicação dessa postagem estavam ativos 34 cursos disponíveis para inscrição. Confira abaixo alguns deles.

Foto de Andrea Piacquadio no Pexels.

O NAU oferece quais cursos online gratuitos em Portugal?

A plataforma NAU possui cursos nas mais diversas áreas. É bom destacar que vários deles tem público específico, quando voltados para qualificação de servidores públicos portugueses, e também vale lembrar que alguns conteúdos seguem a realidade do país europeu, o que pode não ser interessante para estudantes de outras nacionalidades. Entretanto, vale a pena acompanhar a oferta formativa pois há cursos interessantíssimos e que são uma grande oportunidade para dar um upgrade no currículo.

Abaixo segue uma lista de alguns cursos disponíveis na data desta postagem – novos cursos vão sendo incluídos e outros vão saindo conforme a oferta e os prazos dados pela plataforma, por isso é importante acompanhar o site para ficar por dentro das novidades.

Ficou interessado em algum desses acima e quer conferir os demais que estão disponíveis? Entra lá no NAU e bons estudos!


Quer mais sobre o assunto? Não deixe de ler os outros artigos do blog sobre Educação à Distância.


O que é a Carta de Leipzig sobre as Cidades Europeias Sustentáveis?

Carta de Leipzig sobre as Cidades Europeias Sustentáveis

Sumário

– Origem da Carta de Leipzig

– Revisão da Carta de Leipzig

– Principais Pontos da Nova Carta de Leipzig sobre as Cidades Europeias Sustentáveis

Origem da Carta de Leipzig

Em 2007, durante a presidência alemã do Conselho da União Europeia (UE), e a partir do acordo assinado pelos ministros responsáveis pelas políticas de desenvolvimento urbano dos Estados membros, foi lançada a primeira versão da Carta de Leipzig, nome dado ao documento pela cidade onde se deu o acordo.

O principal objetivo da Carta é o de promover o desenvolvimento integrado e sustentável das cidades europeias por meio da indução das políticas urbanas adotadas pelos Estados membros, visando garantir a coesão territorial na UE. Além dos princípios e diretrizes propostos, também foram colocados um conjunto de medidas e a adoção de instrumentos financeiros no âmbito da UE para alcançar o objetivo de tornar as cidades mais sustentáveis, via integração do desenvolvimento urbano nas diferentes escalas de poder territorial.

Outra característica importante da Carta foi incentivar a participação de todos atores envolvidos na agenda de coesão: além dos atores políticos, foram chamados à ação conjunta os agentes econômicos e a sociedade civil.


Revisão da Carta de Leipzig

Em 2020, novamente na Alemanha, durante a presidência rotativa do Conselho da UE, foi proposta uma revisão e relançamento da Carta de Leipzig em face ao contexto político, social, econômico e ambiental da atualidade, cuja dinâmica evoluiu e impôs novos desafios que precisavam ser incorporados ao documento.

Cabe salientar que, no âmbito da UE, novos acordos impõem novas diretrizes que passam a ser incorporadas nas políticas comunitárias. Um dos principais acordos é o Pacto Ecológico Europeu, apresentado ainda em 2019, que está baseado na adoção da Economia Circular limpa e no compromisso de zerar as emissões de gases de efeito estufa até 2050.

No âmbito mundial, há de se considerar também o papel do Acordo de Paris sobre o Clima e a Agenda 2030 das Nações Unidas no estabelecimento de importantes marcos de referência para a sustentabilidade urbana.

Tornar as cidades mais resilientes e adaptáveis a um cenário de alterações bruscas, como foi a pandemia de Covid-19, fez com que a adaptação da Carta se tornasse ainda mais necessária. A Nova Carta de Leipzig vem então construir o compromisso político na adoção das medidas necessárias para atingir seus objetivos.

Fonte: https://urbact.eu/bright-mobility-management. Acesso em 8-5-2021

Nova Carta de Leipzig sobre as Cidades Europeias Sustentáveis

Um dos principais pontos da Nova Carta de Leipzig (NCL) é a ideia de que as políticas urbanas devem proporcionar o bem comum. As cidades possuem, assim, um poder transformativo, que deve ser capaz de responder aos desafios sociais, ambientais e económicas. Os seus 4 pilares são: participação, sustentabilidade, integração e desenvolvimento territorial balanceado.

São destacadas na NCL três formas que as cidades devem explorar para melhorar a qualidade de vida e garantir o bem comum: uma cidade mais justa – oportunidades iguais e justiça para todos, sob o lema do “ninguém será deixado para trás”; uma cidade mais verde – pela ampliação dos espaços verdes e adoção de demais medidas para mitigar os efeitos das alterações climáticas; e uma cidade mais produtiva – um desenvolvimento urbano sustentável somente será possível com a criação de empregos e com uma base de financiamento sólida

Como viabilizar então cidades justas, verdes e produtivas? Por meio de uma boa governança pautada por:
– políticas urbanas para o bem comum
– abordagem integrada
– participação e cocriação
– governação multinível
– abordagem de base local

A plataforma Urbact, do programa de Cooperação Territorial Europeu, possui uma seção dedicada à NCL, com informações mais detalhadas sobre seus princípios e diretrizes e a exibição de boas práticas já adotadas por algumas cidades europeias. Vale destacar também o “Urbact Toolbox“, outra seção dedicada à fornecer ferramentas para capacitar na intervenção nos diferentes estágios do ciclo de planejamento e gestão públicos em matéria de desenvolvimento urbano.


Assine nossa mala direta e fique por dentro das novidades.

Cursos online gratuitos ofertados por 13 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no Brasil

Cursos online gratuitos - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - Brasil
Sumário

– O que são os Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia?

– Que tipos de cursos os IFs oferecem?

– Lista de IFs que oferecem cursos online gratuitos (MOOC)

– Notas

A década de 2020 promete ser marcada pelo avanço e consolidação do Ensino à Distância (EaD), e a oferta de cursos online gratuitos não para de crescer em todo mundo. Em outra postagem já fizemos um breve seleção de três plataformas que oferecem uma formação de qualidade em diversas áreas do conhecimento – com cursos livres e até mesmo graduação e pós, muitos deles de graça!

No Brasil, para quem procura uma formação mais profissionalizante e voltada para a área tecnológica, com foco em empregabilidade, existem os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, com cursos de nível técnico e mesmo superior, estando presente em todos estados do país. Veja abaixo o que são esses institutos e uma lista com vários que ofertam cursos online gratuitos e que dão certificado! Não pagar nada e ter acesso a cursos de qualidade é uma vantagem que ainda não se encontra facilmente por aí, não é mesmo? Confira.

O que são os Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia?

Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia são autarquias federais vinculadas ao Ministério da Educação (MEC) brasileiro, especializados em Educação Profissional e Tecnológica. Juntos, os institutos formam a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, e cada qual possui autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar.

Segundo dados do MEC, em 2019 existiam 38 Institutos Federais (IFs) em funcionamento, além da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, a única que se constitui como universidade especializada em graduação, pós, pesquisa e extensão na área tecnológica.

O conjunto das IFs forma o sistema de ensino federal que tem por missão organizar a oferta pública da educação profissional e tecnológica no Brasil. Em cada estado onde estão presentes, os IFs se distribuem por diferentes campi nas capitais e no interior, levando assim a formação técnica de nível médio e superior a mais pessoas.

Outro detalhe importante é que os IFs tem obrigação legal de oferecerem pelo menos 50% das vagas disponíveis para cursos técnicos de nível médio e um mínimo de 20% de vagas para cursos de licenciatura, com foco em formação de professores de ensino básico e de educação profissional.

Que tipos de cursos os IFs oferecem?

Apesar de terem por missão privilegiar o ensino técnico de nível médio, os IFs oferecem também cursos de licenciatura, bacharelados, pós-graduação stricto sensu (mestrado) e lato sensu (especializações). Muitos desses cursos são oferecidos na modalidade de Educação à Distância, com duas principais formas de ingresso: por edital/processo seletivo ou ingresso direto mediante inscrição online (cursos livres do tipo MOOC – Massive Open Online Courses).

Para essa postagem privilegiamos informar os IFs que oferecem cursos online gratuitos do tipo MOOC (com inscrição direta, sem processo seletivo). Se tiver interesse em pesquisar por vagas que sejam ofertadas por meio de editais, sugerimos conferir a lista completa de IFs e escolher a que melhor convier. Vale destacar que também são gratuitos, alguns com vagas decididas por sorteio público, devido à procura. Por isso destacamos abaixo os IFs nos quais o estudante pode se inscrever online e já entrar no curso diretamente.

Lista de IFs que oferecem cursos online gratuitos (MOOC)

IFAM – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas
Exemplos de cursos: Programação Android; Desenvolvimento de Back-End, etc.


IFES – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo
Exemplos de cursos: Ferramenta para Gravação de Videoaulas; Introdução ao Google Classroom; Introdução a Projetos, etc.


IFG – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Exemplos de cursos: Ensino Híbrido – Reflexão e Prática; Formação para a Docência no Moodle, etc.


IFMA – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão
Em desenvolvimento (informação de Abril de 2021).


IFMS – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul
Exemplos de cursos: Francês Básico, Introdução à Inteligência Artificial, etc.

IFPA – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará
Exemplos de cursos: Programação de Games, Desenvolvimento Web PHP, UX e UI Design, etc.


IFPR – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná
Exemplos de cursos: Empreendedorismo I, II e III, etc.


IFRS – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
Exemplos de cursos: Física para o ENEM, Gestão de Pessoas – conceitos e processos, etc.


IFSul – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense
Em desenvolvimento (informação de Abril de 2021).


IFSP – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
Exemplos de cursos: Desenvolvimento em Python, Introdução à Lógica da Programação, etc.


Atualização – 13 de Abril de 2022

Dois institutos a serem acrescentados na lista dos que oferecem cursos online gratuitos:


Atualização – 5 de Maio de 2021

  • O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia e Educação de Minas Gerais (IFMG) lançou em 1° de Maio de 2021 a sua plataforma de cursos online gratuitos: Mais IFMG. Há oportunidades de aprendizagem em Comunicação, Direitos Humanos etc.

Notas

– Alguns IFs compartilham a mesma oferta de alguns cursos online gratuitos, por se tratar de uma plataforma comum (IFAM, IFPA, IFPR, IFSP).

– Existem outras modalidades de curso que são gratuitos mas dependem de abertura de edital. Acompanhar o IF do seu interesse é a melhor forma de não perder nenhuma oportunidade.


Pós em Portugal: cursos de Mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais

Relação de cursos de Mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais em Portugal (2021)
Sumário

– Introdução

– Lista de cursos de mestrado nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais

– Notas

Introdução

Nesta postagem da série “Pós em Portugal” destaca-se os cursos de mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais em Portugal nas principais universidades portuguesas. A pesquisa sobre os mesmos foi realizada durante o mês de Abril de 2021. Os outros artigos até agora publicados foram sobre os mestrados nas áreas de Arquitetura e Urbanismo e Geografia.

Utilizou-se como informação sobre os cursos disponíveis nas universidades os sites da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior e do Ministério da Educação do governo português. Em alguns casos visitou-se também os próprios sites das universidades, para checar a oferta educativa de cada uma nos temas em foco.

Como nas outras postagens, a pesquisa dos cursos levou em conta aqueles que tenham relação direta com as áreas de Ciência Política e Relações Internacionais. Muitos cursos hoje são ofertados em modalidades interdisciplinares, o que demanda uma pesquisa mais apurada para incluir o maior número possível. A lista, ainda sim, não é exaustiva e é possível que não constem alguns cursos, mas o trabalho realizado garante uma listagem ampla e bem informada, conforme pode ser consultado abaixo.


Cursos de Mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais

Universidade de Lisboa

Universidade Nova de Lisboa

Universidade de Coimbra

Universidade do Porto

Universidade do Minho


Universidade Beira Interior

Universidade de Aveiro


Universidade dos Açores

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Lusófona

Universidade Fernando Pessoa

Universidade Autónoma de Lisboa


Universidade Aberta

Notas

  1. Confira em cada site os prazos de candidaturas para os cursos de mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais acima relacionados. Em geral são realizados no primeiro trimestre de cada ano, mas existem outros prazos – se programe para preparar seu projeto e estar pronto para cumprir com todos requisitos.
  2. Na Associação Portuguesa de Ciência Política (APCP) é possível obter maiores informações sobre a área em Portugal, como congressos, revistas científicas, etc.
  3. A oferta educativa em pós-graduação não se limita ao mestrado. Há cursos desde os níveis de especialização até o pós-doutoramento. Cabe pesquisar em cada universidade quais estão disponíveis. Por exemplo, o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa oferece esse ano a 16a. edição do curso de pós em Comunicação e Marketing Político. Já a Universidade de Coimbra tem o interessante curso de doutoramento em Democracia no Século XXI. Na série “Pós em Portugal” novas postagens irão explorar um pouco a oferta nestes outros ciclos de formação, mas com o foco em temas e não em áreas específicas.

    Se quiser dar algumas sugestão deixe seu comentário abaixo!

Fique por dentro das novidades sobre Carreira Acadêmica!


Pós em Portugal: cursos de Mestrado em Geografia (2021)

Mestrado em Geografia em Portugal (2021)

A segunda postagem da série “Pós em Portugal” apresenta os cursos disponíveis em 2021 de mestrado em Geografia, oferecidos no país.

A relação dos cursos segue a mesma lógica aplicada na primeira postagem, para a área de Arquitetura e Urbanismo: são listados aqueles que tenham relação direta com a Geografia, oferecidos tanto por instituições públicas como privadas, seja do ensino universitário ou politécnico.

Procurou-se incluir o máximo de cursos que tenham relação com a área de Geografia, incluindo os de caráter multidisciplinar, como Ordenamento do Território, por exemplo.

Os cursos podem não estar sendo ofertados neste momento, sendo necessária então confirmar a disponibilidade nos sites oficiais, disponibilizados abaixo.

Cursos de Mestrado em Geografia – Portugal 2021


Notas

  1. como o propósito desta série de postagens é a de trazer informação para quem deseja fazer uma pós-graduação em Portugal vindo do exterior, optou-se, no caso da Geografia, em não incluir os cursos focados na formação de professores do ensino básico e secundário. Neste caso, preferencialmente o interessado já deve ter realizado a graduação em Geografia em Portugal e ter interesse em dar aulas para crianças e jovens.
  2. Os cursos pesquisados passaram pelo processo de acreditação da A3ES – Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, uma fundação de direito privado criada pelo Estado português.
  3. Vale a pena lembrar de que o ensino público em Portugal é pago, e existem valores diferentes para alunos portugueses e os vindo do estrangeiro – procure se informar na universidade na qual pretende fazer o mestrado.

Fique por dentro das novidades sobre Carreira Acadêmica!

Pós em Portugal: cursos de mestrado em Arquitetura e Urbanismo (2021)

cursos de mestrado em arquitetura e urbanismo
Sumário

– Como fazer Mestrado em Portugal

– Universidades em Portugal com cursos de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

– O que é Mestrado Integrado?

Essa é a primeira postagem da série sobre pós-graduação em Portugal, focada nos cursos de mestrado em Arquitetura e Urbanismo disponíveis em universidades portuguesas em 2021.

Fazer uma pós-graduação, seja um mestrado ou MBA, é um imperativo para quem deseja se destacar profissionalmente, seja na carreira acadêmica ou para trabalhar no setor público ou privado. Por isso, ter as informações necessárias sobre as opções disponíveis é fundamental para fazer uma escolha bem fundamentada.

E que tal se for em uma universidade estrangeira? Ter no currículo uma formação internacional sempre será um diferencial importante no currículo. Partindo desse princípio, inicio uma série de postagens sobre cursos de pós-graduação por áreas do conhecimento em Portugal, país que possui centros de excelência em ensino e pesquisa e tem grande procura pelos estudantes de países de língua portuguesa, principalmente o Brasil.

Como fazer mestrado em Portugal?

Também denominado como 2° ciclo do ensino superior, o mestrado em Portugal se divide em dois tipos: universitário e politécnico. Em se tratando do universo de temas abrangidos pela Arquitetura e Urbanismo, há cursos disponíveis nos dois tipos, sendo o politécnico mais vocacionado para a prática profissional e de menor duração.

Existem detalhes importantes para se planejar antes: prazos para submissão de candidaturas, documentos exigidos (como o visto de estudante, por exemplo), custos (sim, não são gratuitos, mas é possível verificar se há bolsas), reconhecimento do diploma no país de origem, etc. Como o foco aqui é sobre os cursos em si, recomendo a leitura da matéria do site Euro Dicas sobre esses detalhes. Nele inclusive é possível encontrar outras informações importantes para quem quer ir estudar em Portugal, como, por exemplo, o custo de vida nas principais cidades, etc.

Universidades em Portugal com cursos de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo

A relação abaixo exibe as informações sobre o nome da universidade e do curso de mestrado oferecido pela mesma, assim como o link para acessar as informações no site de origem (datas do processo seletivo, custos – em Portugal chamados de “propinas”, etc). A lista abrange tanto instituições públicas como privadas e dos ensinos universitário e politécnico. Foram pesquisados cursos que tenham relação com a área de Arquitetura e Urbanismo, seja de forma direta ou em abordagens multidisciplinares.

Confira abaixo os cursos de mestrado em Arquitetura e Urbanismo em Portugal em 2021.


Estudos Urbanos


Instituto Politécnico de Tomar

Conservação e Restauro
– Reabilitação Urbana


Conservação e Reabilitação do Edificado


Estudos do Património


Arquitectura Paisagista


Universidade de Aveiro

Planeamento Regional e Urbano
Reabilitação do Património


Universidade Autónoma de Lisboa

História, Arqueologia e Património


Universidade de Coimbra

Arquitetura, Paisagem e Arqueologia
Reabilitação Urbana Integrada
Gestão da Mobilidade Urbana
Reabilitação de Edifícios
Arte e Património
Património Cultural e Museologia


Arquitectura Paisagista
Gestão e Valorização do Património Histórico e Cultural


Universidade de Lisboa

Arquitectura Paisagista
Gestão do Território e Urbanismo
Ordenamento do Território e Urbanismo
Ciências da Conservação, Restauro e Produção de Arte Contemporânea
História da Arte e Património


Urbanismo


Universidade do Minho

Construção e Reabilitação Sustentáveis


Universidade Nova de Lisboa

Conservação e Restauro
Urbanismo Sustentável e Ordenamento do Território


Universidade do Porto

Arquitectura Paisagista
Planeamento e Projecto Urbano
História e Património
Riscos, Cidades e Ordenamento do Território


Património Artístico Conservação e Restauro
Património Cultural e Desenvolvimento do Território


Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Arquitectura Paisagista

Nota: foi mantida a grafia de palavras como são descritas em Portugal (Arquitectura, Património, Planeamento e Projecto). Este é um detalhe importante quando se faz uma busca pelos mecanismos de pesquisa na Internet.

O que é o Mestrado Integrado?

Ao navegar pela oferta de cursos de pós-graduação nos sites das universidades portuguesas pode-se notar a oferta do chamado “Mestrado Integrado”. Trata-se de uma modalidade em que, num prazo de 10 a 12 semestres, é possível fazer a graduação e o mestrado de uma só vez. É uma modificação introduzida pelo “Processo de Bolonha”, assinado em 1999 por 29 países e que criou o Espaço Europeu de Ensino Superior.

Atualmente esse tipo de mestrado está sendo descontinuado em Portugal, o que vem gerando uma vaga de novos cursos, ampliando as oportunidades principalmente para estudantes estrangeiros.


Sobre a série
“Pós em Portugal”

Sequencia de postagens durante o ano de 2021 com informações sobre cursos de pós-graduação em Portugal, com foco nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Geografia, Ciência Política e Relações Internacionais.


Recuperação Global Verde por meio das Cidades

Muda o ano mas permanecem os desafios. A pandemia está (infelizmente) longe de acabar, e é urgente a necessidade de por em prática soluções para superar os problemas de saúde, em primeiro lugar, e os econômicos. Enquanto a vacinação avança para conter o coronavírus, thinks tanks e organizações como a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) apresentam propostas para se pensar os caminhos da recuperação, como a Recuperação Global Verde.

Lançado pela Coalition for Urban Transitions, o “The Economic Case for Greening the Global Recovery Through Cities” (*arquivo PDF em inglês) apresenta sete prioridades que os governos nacionais deveriam considerar para uma recuperação global de cariz sustentável, com as cidades exercendo um papel central no processo, tendo em conta que, apesar da pandemia, as mudanças climáticas continuam sendo o principal desafio do século XXI.

Para os autores do documento, os governos deveriam investir prioritariamente em

  1. construção verde e retrofits
  2. mobilidade limpa
  3. energias renováveis
  4. transporte ativo
  5. soluções baseadas na Natureza
  6. resíduos e recursos / economia circular
  7. pesquisa e desenvolvimento de tecnologias limpas

Para cada item citado, os autores indicam o potencial de:

  • investimento
  • redução de emissões dos gases de efeito estufa
  • rapidamente dar suporte a uma recuperação econômica no curto prazo

Por fim, o documento sugere, além das sete recomendações setoriais acima mencionadas, três reformas de políticas públicas transversais para aumentar o impacto e efetividade dos investimentos governamentais:

  • reforma fiscal – retirando subsídios para combustíveis fósseis e incentivando infraestrutura e serviços de baixo carbono e resilientes.
  • reforma da governança – por meio de uma estratégia nacional de desenvolvimento social e econômico das cidades.
  • reforma financeira – para garantir as receitas que suportarão uma infraestrutura urbana sustentável, via reforma dos sistemas de financiamento municipal.

O relatório é redigido de forma simples e acessível, com embasamento em dados e conhecimentos consolidados em políticas públicas a nível global. Vale destacar o papel principal que os autores conferem aos governos nacionais para uma recuperação que se deseja ser verde, resiliente e inclusiva.

Conheça mais sobre o trabalho da Coalition for Urban Transitions, uma associação de organizações intergovernamentais, centros de investigação, redes de cidades, ONG e empresas.

Cadastre-se para acompanhar as novidades do blog sobre estudos urbanos.

Segurança na Internet: use gerenciador de senhas contra fraudes e roubos

Segurança na Internet - gerenciador de senhas.

Um dos objetivos do blog é compartilhar informações sobre ferramentas úteis de produtividade focadas na área acadêmica. A dica desta vez, no entanto, é um serviço que serve para aprimorar a sua segurança online na rede: usar um bom gerenciador de senhas.

Cada vez mais os serviços que precisamos no nosso dia a dia dependem da Internet: seja para fazer uma compra online, acessar o saldo no banco ou chamar um carro para se deslocar pela cidade. Para cada serviço desses, na maioria das vezes, é preciso ter um nome de usuário (login) e senha. O que acontece é que vai se tornando praticamente impossível guardar a combinação para cada site ou app que você tem.

E não… não use o mesmo login e senha para vários serviços ao mesmo tempo! Essa é uma das principais recomendações sobre o que NÃO se deve fazer em termos de segurança na Internet. É bom lembrar que houve um aumento significativo dos crimes cibernéticos durante a pandemia, entre fraudes, roubos e falsificações. Ninguém quer correr o risco de cair numa roubada, não é mesmo?

Qual a melhor solução então para se manter seguro?

Sem dúvida a opção número um sempre é ter um bom antivírus (e mantê-lo constantemente atualizado), tanto no seu computador de mesa quanto no smartphone. Entretanto, quando falamos sobre login e senha, a melhor alternativa que existe é utilizar um gerenciador de senhas.

O que é um gerenciador de senhas?

Trata-se de um aplicativo que propõe manter um “cofre forte” de armazenamento de todos logins e senhas dos seus sites e aplicativos em um mesmo lugar. Você então passa a precisar de apenas uma senha – a do gerenciador. E, o mais importante, ele gera senhas fortes, com alto grau de segurança, para você ficar mais tranquilo em não ter sua senha roubada por hackers.

Como funciona?

Basicamente você terá que ter instalado o app no seu smartphone e a extensão para os navegadores no seu desktop. Daí em diante toda vez que vier a famosa tela de acesso pedindo login e senha, o app/extensão pode ser acionado para preencher automaticamente os dados. Uma mão na roda, não é mesmo?

Qual gerenciador escolher?

Existem várias alternativas no mercado e a que indico, que é a que eu uso diariamente, se chama… É um serviço que dispõe de um bom plano gratuito que, no meu caso, responde satisfatoriamente às minhas necessidades.

// Atualização 2 de Março de 2021

Por dois motivos precisei retificar a minha indicação de gerenciador de senhas: 1) a mudança da política do aplicativo, que limitou muito sua versão gratuita, e 2) um problema na segurança dos dados pessoais, para mim a pior notícia e que justifica a atualização deste post.

Bitwarden

Desta vez, após pesquisar e ler algumas matérias de sites especializados (aqui, acolá e neste outro), me pareceu mais seguro migrar para um serviço que não apresenta os problemas acima mencionados e que tem uma boa versão gratuita: o Bitwarden. Instalei e a experiência de usuário tem sido positiva naquilo que se espera de um gerenciador de senhas – e espero que assim permaneça!

Podes pesquisar outros serviços, mas NÃO deixe de adotar essa que é uma importante ferramenta de segurança cibernética em um cenário de muitos riscos.


Fique por dentro das novidades sobre Carreira Acadêmica!


ResearchGate, o “Facebook” acadêmico

O que é e como participar do ResearchGate

Ter um perfil, seguir pessoas e acompanhar o que postam não se resume a compartilhar sua vida pessoal no Facebook, Instagram e etc. A dinâmica das redes sociais também faz parte do mundo acadêmico, e o site ResearchGate (RG)é exemplo disso. Diferente, entretanto, das famosas redes pessoais, o RG, criado em 2008, oferece ao usuário basicamente compartilhar trabalhos científicos, partilhar perguntas e respostas e conferir anúncios de empregos acadêmicos.

Qual o objetivo do ResearchGate?

A proposta do RG é a de oferecer gratuitamente um espaço para que acadêmicos possam criar um perfil e interagir e colaborar com outras pessoas de todo o mundo, potencializando a divulgação científica e a criação de networking entre pesquisadores nas mais diversas áreas do conhecimento. 

Como funciona?

Para criar seu perfil no RG você deve inserir seus dados acadêmicos (instituição onde trabalha, grupos de pesquisa nos quais participa, etc) e fazer o upload de suas publicações, que ficarão acessíveis para os demais participantes da rede. Também são geradas estatísticas de acompanhamento das visualizações e downloads dos seus trabalhos.

Ao compartilhar sua produção acadêmica no RG a mesma se torna acessível a outras pessoas que seguem a sua área de pesquisa, aumentando o alcance e impacto do seu trabalho, podendo gerar inclusive mais citações para os seus trabalhos.

Outra funcionalidade interessante do RG é a seção de perguntas que os usuários podem lançar para a comunidade participar. É uma boa oportunidade para colher insights acerca daquela hipótese que estejas trabalhando, ou sobre qual melhor fonte para determinados dados, etc.

Por fim, o RG separa uma seção para a divulgação de oportunidades de emprego em universidades por todo o mundo – as mesmas aparecem como sugestões de acordo com o perfil do usuário.

Se você deseja incrementar sua carreira acadêmica, o RG é a rede certa para você se inscrever. Crie já o seu perfil!

Fique por dentro das novidades sobre Carreira Acadêmica!